Tratar Presos com mais rigor?

quinta-feira, 1 de abril de 2010

PARALISAÇÃO NA ESCOLA JOÃO BENTO DA COSTA



Que ninguém saia por aí dizendo que é o "DIA DA MENTIRA", os professores da Escola João Bento da Costa, resolveram na noite do dia 31 de Março pela paralisação das atividades escolares, pelo menos até terça-feira dia 05/04, onde serão ouvidas as propostas e andamentos das reivindicações do SINTERO.

Na verdade o des-Governo de Rondônia, aprovou na Assembléia Legislativa um aumento que não atende as reivindicações dos profissionais em educação, e os professores na sua maioria entenderam que é justa a paralisação, onde os mesmos recebem apoio da maioria dos alunos desta escola, pelo menos nos que acreditam que um professor melhor remunerado, muda sim, a cara da escola, do ensino e da aprendizagem!!!

Chega de sermos humilhados e relegados, por pessoas corruptas que na calada da noite, criam cargos e mais cargos comissionados, e gratificações para chefes, para manterem-se no poder passando por cima da dignidade de muitos de nós.

Precisamos entender e colocar em prática, que somos muitos. Precisamos urgentemente de GESTÃO DEMOCRATICA dentro das escolas, se vivemos num país que se diz democrático, porque essa tal "democracia" não entra no ambiente escolar. Precisamos de gestores, comprometidos com a aprendizagem, mas, também comprometido com quem faz o trabalho de base, que é ensinar.

Vamos à luta!!!! Chega de jogarmos nossos filhos em ambientes "insalubres" que mais parecem lixeiras... nossos filhos precisam aprender cidadania e ter dignidade!

Dignidade de uma boa educação e de um ambiente saúdavel para as práticas escolares É preciso criar urgente algum mecanismo e começar uma verdadeira CRUZADA CONTRA A SUJEIRA dentro das escolas.

A sociedade precisa se unir e dá as mãos a esse movimento. Contudo é preciso acordar e entender que nossos filhos são entregues à escola para APRENDER, e precisamos aprender a ter dignidade, valores morais e éticos, para quem sabe assim não reproduzir no futuro, pessoas corruptas e larápios do erário público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário