Tratar Presos com mais rigor?

terça-feira, 26 de abril de 2011

ISLAMISMO

Quer pesquisar sobre o Islamismo, vou passar aqui alguns sites para leituras:
http://www.islambr.com.br/
http://www.ziad.hpg.ig.com.br/
http://www.wamy.org.br/
http://www.islam.org.br/
http://www.sbmrj.org.br/



Mohammad, é considerado o derradeiro profeta de Deus, nasceu na Arábia, o século VI. Até a idade dos quarenta anos o povo de Makka o conhecia apenas como um homem de excelente caracter e finas maneiras e o denominavam Al Amim (o honesto). Não sabiam que brevemente ele seria profeta e receberia a revelação de Deus. Ele conclamou os idolatras para adorarem o Único Deus e para aceitarem como seu profeta. O Alcorão encontrado hoje em dia é o mesmo que foi revelado a ele. Nenhuma sílaba foialteada, pois o próprio Deus garantiu a sua preservação.




Fonte: Quem é um profeta no Islam (Centro de Divulgação do Islam para a América Latina), folheto informativo.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

VOCÊ CONHECE UM WOKERLOVER?

Vejamos algumas caracteristicas deum wokerlover de acordo com Patricia Bispo, do portal www.rh.com.br:
1. Ser apaixonado pelo trabalho, isso significa que a pessoa tem prazer em realizar suas atividades, motivado pela sua própria capacidade profissional.

2. Aceita os desafios não como m "castigo" ou "fardo", mas sim como uma oportunidade de desenvolvimento que poderá impactar sua carreira profissional.

3. Quando supera as metas, o apaixonado pelo trabalho não espera elogios para se sentir motivado e ser reconhecido pela empresa.

4. Enquanto as pessoas reclamam que os ponteiros do relogio não sae do lugar, o apaixonado pelo trabalho fica surpreso com a rapidez que o dia passou.

5. O wokerlove não fica recluso na sua ostra. pelo contrário ele sente prazer em compartilhar com os amigos as suas conquistas e do grupo.

6.O volume de trabalho não o deixa em pânico ou revoltado. ele considera suas responsabilidades como atribuições de valor.



PS: os wokerlover não são viciados em trabalho, pelo contrário amam o que fazem.







prof. valdeci leciona em Porto Velho-RO.



sábado, 2 de abril de 2011

SER POLÊMICO, EIS A QUESTÃO



Muito se fala em Gestão Democrática nas escolas do nosso Estado. Precisamos rever urgentemente a questão do poder à luz da questão do bem, da justiça e do dever ou de mesmo repensar as instituiçoes ditas coercitivas - sejam elas limitadas ao Estado e a sociedade civil ou capazes ainda de envolver a familia, ONG'S, e até mesmo organizações internacionais.

Penso eu, que a escola pública tem de ser vista numa visão macro, onde envolva toda comunidade, sociedade e todas as instituições sociais, a bem da própria sociedade e do futuro dos nossos jovens.

Jamais procurei fazer acusações levianas, sobre A ou B, tudo que critiquei ou critico, sempre mostro os prós e contras e como fazer, se não o soubesse não criticaria, nem mesmo abro a boca!


Não sou politico (profissional),digo dos politicos de carreiras, que ocupam cargos públicos e dos estadistas. Seria leviano, criticar o novo Governo ou a nova direção da Escola, porque tentam administrar o CAOS deixado pelo ex-governo ou desgoverno. Estão tentando acertar(o que criticar então?)


Precisamos assumir nosso papel como verdadeiro profissional, utilizando-se da ética e da razão. Falo da razão pública, e de uma maneira mais precisa de uma "publicidade racional" como trabalhadores que somos da educação, para não sermos vistos como trabalhadores do ócio.


Certa vez sentir em um grande amigo meu, um sentimento de "dó" quando referia-se a minha profissão, imediatamente o persuadir dizendo: "não tenha pena de mim, amo o que faço", é com esse sentimento que encaro a escola todo santo dia, desde o momento que saio de casa, não deixo me abater... ainda assim,não precisamos nos nivelarmos por baixo.


Acredito que o momento é propício para o debate (sadio) de idéias para a formulação de um novo Projeto Pedagógico, que dê enfase ao trabalho dos profissionais de nossa escola e principalmente aos nossos alunos, PP esse que coloque nossos alunos com chances de concorrer com alunos de todo país, nos mais altos escalões universitários e até mesmo profissional, que tal um projeto direcionado dentro das escolas públicas voltadas para concusos públicos? a exemplo do sucesso concreto que é o Projeto Terceirão JBC. é somente uma idéia e não ofende ninguém.



* Texto escrito, pensando nos meus colegas anônimos, que tanto colaboram com nosso BLOG, para que assim possamos somar, multiplicar em vez de dividir. O sucesso da Escola JBC é de todos nós, professores de 1.ANO (como sou também), 2. ANO e Terceiro.


Amplexus,



Prof. Valdeci Ribeiro


Leciona Sociologia e História em Porto Velho-RO, na Escola João Bento da Costa